Publicações

obra mulher em cvTítulo: As Mulheres em Cabo Verde: experiências e perspectivas

Resumo: Este livro constitui a primeira publicação organizada pelo Centro de Investigação e Formação em Género e Família (CIGEF) da Universidade de Cabo Verde, a partir de um conjunto de artigos que versa sobre o percurso das mulheres cabo-verdianas, apresentado durante a primeira Conferência Internacional “As Mulheres em Cabo Verde: Experiências e Perspectiva”, que decorreu entre os dias 9 e 10 de Novembro de 2010.

Nela foi possível congregar um conjunto alargado de análises sobre a situação das mulheres em Cabo Verde desde o período colonial à actualidade, situando o país não apenas no contexto da África mas também em outros espaços de produção de conhecimento.

Esta publicação, que visa colocar à disposição do público resultados de pesquisas de âmbito essencialmente nacional, realizadas pelos investigadores cabo-verdianos residentes e na diáspora e pelos estrangeiros, nos incita, tanto do ponto de vista téorico e metodológico qunato da análise de casos, a um exercício de vigilância epistemológica e de questionamento permanente, condição essencial para a produção de um conhecimento que se quer científico.

A sua publicação só foi possível graças ao apoio financeiro do Gabinete do Primeiro Ministro da República de Cabo Verde e do Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA).

________________________________________________________

 Tão longeTítulo: Tão Longe Tão Perto

Resumo: Tão Longe tão perto é uma obra surpreendente sobre a organização familiar na ilha de Boa Vista (Cabo Verde). Tema tradicionalíssimo numa antropologia que ainda experimenta esporádicos impulsos anti-tradicionais, passados alguns anos da chamada virada pós-moderna na disciplina, o tratamento aqui dado à organização familiar é inusitado pela força inovadora e revigoradora da qual é portador. Em um texto de ricas texturas, fundado numa sólida e longa pesquisa de campo na ilha, Andréa de Souza Lobo revisita conceitos com uma longa história na antropologia (paternidade e maternidade, casamento, filiação, família, casa…), descobrindo neles novas perspectivas que lhe permitem iluminar de modo inédito a falsidade da equação uma cultura = uma sociedade = uma língua = uma nação, Tão Longe tão perto desmistifica a equação implícita na ideologia da normalidade (que sub-repticiamente informa parte substancial da produção antropológica) de que uma família = um casamento = uma casa = uma unidade de convivência.

Andréa de Souza Lobo examina o interessante caso boa-vistense em que as famílias se reproduzem num contexto de emigração marcadamente feminina. Em Boa Vista, a família (unidade paradigmática de sociabilidade e de proximidade) não vive junta. Lá, como em muitos outros lugares, o laço mãe-filho é o mais importante. No entanto, mães e filhos são separados em nome da própria reprodução familiar e a maternidade social plena requer o concurso de duas gerações. Através de uma rica etnografia a autora examina as estratégias para criar proximidade onde impera a distância bem como os valores e as práticas em uso para minorar os riscos de uma estrutura social que impele parte de seus membros para o exterior e para se sobrepor à ideologia da família nuclear monogâmica que percebe o caso de Boa Vista como um afastamento caótico do normal, como mais de desorganização social.

Este livro é uma publicação da Edições Uni-CV e contou com a colaboração do CIGEF (Centro de Investigação e Formação em Género e Família).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s